I LIGA: Moreirense dançou melhor o vira minhoto.

Publicado por em 7 Abril, 2019

Murilo, um dos melhores do SC Braga.
Murilo, um dos melhores do SC Braga.

Em Moreira de Cónegos, uma fífia de Tiago Sá proporcionou o único golo da partida aos donos do terreno. O central Ivanildo aproveitou da melhor forma a oferta do guardião arsenalista para fazer o golo que ditou a derrota do SC Braga. Com este resultado a equipa de Abel Ferreira pode ver o Sporting isolar-se na terceira posição do campeonato; já o Moreirense, com esta vitória, faz história, pois obtém a sua melhor pontuação de sempre na Primeira Liga e volta a isolar-se no quinto lugar.

Depois da derrota na jornada anterior contra o FC Porto e após o empate, a meio da semana, para a Taça de Portugal que afastou os arsenalistas do Jamor, o SC Braga tinha, nesta ida ao terreno do Moreirense, uma deslocação curta, mas, como se adivinhava, complicada.

Em Moreira de Cónegos mora a equipa sensação desta temporada e não é por acaso que os comandados de Ivo Vieira, madeirense que orienta a equipa do concelho de Guimarães, estão no quinto lugar. Ocupam esta posição com mérito e nesta jornada, contra um Braga que na segunda parte esteve muito longe do que tem obrigação de fazer, mostraram que este Moreirense, além de jogar bem, respira confiança.

Sem alterações em relação ao jogo para a Taça contra o FC Porto, excluindo-se a habitual troca na baliza onde Tiago Sá recuperou o lugar que costuma ser seu no campeonato, o Braga entrou em campo com Dyego Sousa no banco juntamente com Esgaio, jogadores que tinham sido titulares contra o Porto, mas no jogo para o campeonato. E foi o Braga a equipa que entrou a mandar e a querer, desde cedo, resolver o jogo. No final do encontro Abel Ferreira disse que a entrada forte do Braga foi propositada para a equipa evitar, na segunda parte, o cansaço do esforço de dois jogos exigentes contra o FC Porto.

Com mais bola a equipa da cidade dos arcebispos conseguiu, logo aos oito minutos, ter duas excelentes oportunidades para fazer golo. Na primeira, Murilo na área rematou bem, mas Halliche, segundo o canal que transmitiu o jogo, o melhor em campo, ofereceu o corpo ao manifesto e cortou a bola para canto, na sequência do mesmo, Bruno Viana, esquecido ao segundo poste, rematou rasteiro e aí foi Pedro Trigueira que, de forma pouco ortodoxa mas eficaz, conseguiu suster o remate do central brasileiro.

Nesta altura o Braga estava melhor e o Moreirense, que se apresentou com uma linha de cinco homens no sector mais recuado (Arsénio fechava na direita no processo defensivo, juntamente com os centrais Iago dos Santos, Halliche e Ivanildo, com D’Alberto pela esquerda), sentia dificuldades, mas depressa a balança começou a ficar equilibrada e o jogo, não sendo esplendoroso, estava rápido, vivo e com pouco espaço no miolo.

A primeira parte foi jogada com as equipas ligadas à corrente e com os dois emblemas sempre à procura de ver baliza, só que isso acontecia a espaços e quando Paulinho, ao minuto 40, surgiu solto na área, foi novamente Pedro Trigueira a brilhar, com mais uma excelente intervenção (a melhor da noite) a garantir que as suas redes continuavam invioladas.

Até que surgiu o golo que não valeu de Murilo. Uma jogada excelente só que antes do brasileiro rematar a contar, Ricardo Horta, que desmarcou o brasileiro, estava em fora de jogo e após consulta do VAR, Artur Soares Dias, decidiu anular (bem) um golo que daria, ao minuto 43, vantagem (preciosa) ao Braga. Por isso o intervalo chegou sem golos, mas com uma primeira parte muito entretida.

No reatamento, quando se esperava que o Braga voltasse a controlar o jogo, foi o Moreirense quem conseguiu chegar ao golo. Após um canto na esquerda, depois de Pablo ter desviado o cabeceamento de Pedro Nuno, Tiago Sá saiu da baliza e não conseguiu socar a bola, embatendo contra Sequeira, os homens de Braga foram obrigados a ceder novo canto para pôr cobro ao perigo iminente, desta vez na direita. Chiquinho bateu curto para Neto, este cruzou para a área e Tiago Sá, que parecia ter o lance controlado, cometeu uma gaffe ao não segurar uma bola fácil, esta sobrou para Ivanildo que não teve dificuldades em bater para a baliza deserta. Estava-se feito, ao minuto 46, o primeiro e único golo deste jogo. (Ver aqui o golo).

Complicava-se a vida para o Braga e o Moreirense, a vencer, ficava mais confiante e mais solto no jogo. Aos 55 minutos, Abel Ferreira decidiu mexer na equipa, retirou de campo Wilson Eduardo e Ricardo Horta e para os seus lugares entraram Dyego Sousa e Xadas, mas as alterações não surtiram o efeito desejado e, não raras vezes, viu-se o treinador, principalmente nas paragens mais prolongadas do jogo, a fazer uma espécie de time-out a tentar (re)ajustar as posições dos seus jogadores.

Quem estava melhor no jogo por esta altura era o Moreirense, que teve duas excelentes ocasiões para dilatar a vantagem, uma por Heriberto Tavares e outra por Chiquinho. Já o Braga, apenas incomodou com uma incursão de Marcelo Goiano e um cabeceamento de Dyego Sousa, muito pouco para uma equipa que pretende garantir um lugar no pódio e que estava, pelo menos, proíbida de perder pontos.

Sem que o Braga tivesse conseguido, na segunda parte, e já com Novais no lugar de Palhinha, fazer a equipa do Moreirense passar por verdadeiros calafrios, a partida chegou ao fim com os da casa a controlarem a bola e a denotaram uma assinalável maturidade na gestão e condução do jogo, um belo exemplo disso é o jovem maliano Ibrahima, de apenas 20 anos, que foi vendido no mercado de inverno pelo Braga ao Moreirense e que foi autor de uma excelente exibição.

Na próxima semana o Braga vai receber o Tondela para tentar continuar a lutar por esse lugar no pódio que António Salvador disse, à bem pouco tempo, que seria uma enorme frustração se não fosse alcançado.

FICHA DO JOGO

ESTÁDIO: Comendador Joaquim de Almeida Freitas (Moreira de Cónegos).

ÁRBITRO: Artur Soares Dias (AF Porto).

MOREIRENSE FC:

Pedro Trigueira, Iago dos Santos, Halliche, Ivanildo (Fábio Pacheco, 78’) e D’Alberto; P. Neto, Ibrahima, Chiquinho e Arsénio; Heriberto (Alan Schons, 90+3’) e Pedro Nuno (Bilel, 67’);

TREINADOR: Ivo Vieira.

SC BRAGA:

Tiago Sá, Marcelo Goiano, Bruno Viana, Pablo e Sequeira; Palhinha (João Novais, 68’), Claudemir, Murilo e Ricardo Horta (Xadas, 55’); Wilson Eduardo (Dyego Sousa, 55’) e Paulinho;

TREINADOR: Abel Ferreira.

DISCIPLINA:

AMARELOS

MOREIRENSE FC: Ivanildo, 62′.

SC BRAGA: Pablo, 61′.

VERMELHOS: nada a registar.

GOLOS: (1-0) Ivanildo, 46’.

© Fotos: Facebook Oficial Sporting Clube de Braga.

Categorizado como

Current track
Title
Artist