CPP: Empate sem golos entre candidatos

Publicado por em 17 Setembro, 2017

FC Vizela e Vilaverdense FC anularam-se num jogo entre candidatos e foi mais notório, em ambas equipas, o medo de perder do que a vontade de vencer; esse receio condicionou o jogo e não sendo uma partida, sob o ponto de vista do espetáculo, muito rica, foi um jogo taticamente muito evoluído. Gostaram os treinadores (do jogo) mas não gostaram os adeptos.

Nesta jornada quatro do CPP, o Vilaverdense deslocou-se ao terreno do FC Vizela e arrancou um empate sem golos que pode ser visto, até pela opinião de António Barbosa no final da partida, como um ponto ganho, fruto da qualidade e da valia do rival e não, dois perdidos.

Este embate, nem de longe nem de perto ficará no quadro reservado aos jogos que são um hino ao futebol, momentos houve em que não se conseguiu perceber nenhum rasgo de entusiasmo que pudesse causar o desequilíbrio no marcador e como os treinadores amararam as equipas à ideia tática que preconizaram para este duelo, isso, quiçá, tolheu sobremaneira a forma como os jogadores encaram a partida e o registo esteve sempre longe daquilo que os adeptos do futebol gostam.

Por outro lado, até porque as equipas que se defrontaram hoje surgem, nesta altura, na pole position para a luta pelo lugar cimeiro da tabela, isso pode servir de atenuante para o desempenho longe das balizas a que se assistiu. A entrada em campo fez-se com os dois emblemas a tentar perceber o que o jogo poderia dar, sentia-se o respeito, percebia-se que os jogadores sabiam que do lado oposto estava uma equipa com os mesmo objetivos e por isso, no seu subconsciente, isso fazia mossa até porque depois deste jogo continuará a faltar muito campeonato para jogar e para se decidir que equipa vai ficar no topo da liderança. Porém uma coisa é certa, hoje defrontaram-se as duas melhores equipas desta temporada e que estão, as duas, muito bem orientadas, com treinadores que fizeram uma leitura quase semelhante do decurso do jogo.

Durante a primeira parte, Pedro Albergaria e Pedro Freitas, guarda-redes de uma e outra equipa, foram quase meros espectadores, a luta era feita no miolo, na base do músculo e se pelo lado dos da casa Mércio e Felipe Augusto eram os mais esclarecidos, pelo lado do Vilaverdense, André Soares e Joel Silva tentavam abanar a equipa com Salvador, muito aos repelões, a tentar desequilibrar com as suas movimentações, mas tudo era feito longe do sitio onde o coração começa a bater a mil, a baliza.

O intervalo chegou sem golos, nada de estranhar pelo que se havia jogado. No arranque da segunda parte, André Salvador correu meio campo com bola e a uns 20/25 metros da baliza encheu-se de fé e rematou com o pé esquerdo com a bola a embater com estrondo na baliza do Vizela. A resposta não se fez esperar e na reposição de bola os homens da casa chegaram rápido à área de Pedro Freitas e foi Rafa Vieira, in extremis, que desviou um toque subtil de Carlos Fortes. Por esta altura, no estádio, pensou-se que a segunda parte iria ser diferente para melhor, nada mais errado, pois após esta entrada mais acutilante de ambas as equipas, tudo voltou ao normal e o gás inicial, perdeu-se. Até ao fim, os da casa reclamaram algumas decisões de Albano Correia, árbitro desta partida e o maior ruído chegou no último minuto num lance dentro da área do Vilaverdense que o árbitro sancionou como falta atacante após uma perda de bola infantil da formação de António Barbosa.

No fim do jogo, na sala de imprensa, tanto António Barbosa como Carlos Cunha concordaram em dizer que o empate se ajustou em função daquilo que foi o jogo.

Ficha do Jogo:

Estádio: do FC Vizela

Árbitro: Albano Correia (AF Braga)

FC Vizela:

Pedro Albergaria, João Cunha, Felipe Augusto, Mércio, Zé Valente (Cann, 56’), Evrard, João Oliveira, Nera (Panin, 85’), Miguel Oliveira, João Pedro e Carlos Fortes (Paredes, 63’);

Treinador: Carlos Cunha;

Vilaverdense FC:

Pedro Freitas, Rafael Vieira, Ibraima, Joel Silva (José Pedro, 59’), André Soares (Ahmed, 63’), André Salvador, Pedro Lemos, Rafael Miranda (Danilo Castro, 87’), Nené, Latyr Fall e João Carneiro;

Treinador: António Barbosa;

Disciplina:

Cartões Amarelos

FC Vizela: Mércio, 29’; Evrard, 66’ e João Oliveira, 75’;

Vilaverdense FC: João Carneiro, 3’; André Soares, 20’; Ibraima, 80’ e Latyr Fall, 87’;

Prémio Melhor em Campo VFC/ Bola P’ra Frente: Ibraima;

Sala de Imprensa

Categorizado como

Current track
Title
Artist