CP: Vilaverdense continua em queda.

Publicado por em 24 Fevereiro, 2019

O Vilaverdense volta a perder
O Vilaverdense volta a perder

Na receção ao Montalegre a equipa do Vilaverdense, agora orientada por Gaspar Silva, entrou a ganhar, com um golo de Tiago Vilela, mas permitiu a reviravolta no marcador e ao intervalo, o 1-3 que o placard assinalava e que seria o resultado final, era a amostra do pouco que a equipa minhota jogou.

O Vila começa a ficar sem cartuchos para queimar. São sete os jogos seguidos sem ganhar e pior do que isso, sempre a perder. O Vilaverdense já não se lembra de ganhar e de semana para semana, nota-se que a equipa do Cruz do Reguengo se vai enterrando rumo a um destino que parece impossível alterar: os campeonatos distritais.

A tarde deste domingo convidava para um bom jogo de futebol, o público (infelizmente) não em grande número, aproveitou o sol, mas só conseguiu aproveitar isso mesmo porque o jogo, esse, não foi muito bem conseguido e há uma certeza também, a vitória do CDC Montalegre, não sofre nenhum tipo de contestação.

A formação da casa, sem fazer uma entrada deslumbrante em jogo, aproveitou da melhor forma uma oferta da defensiva contrária e Tiago Vilela, que acreditou na asneira, forçou Vítor Pereira a errar e conseguiu importunar o defesa central da equipa das terras do barroso e depois de roubar a bola ao central, encarou o guarda-redes para fazer o primeiro golo da tarde. O Vila adiantava-se no marcador à passagem do minuto seis. Ficava-se com a ideia que este embate teria uma história diferente das últimas partidas, mas tudo não passou de um lampejo que depressa sucumbiu.

Ao ver-se a perder, a equipa de José Manuel Viage, começou a meter mais velocidade nas acções de jogo e como no processo defensivo, o Vila tem lacunas gritantes, o Montalegre chegou de forma rápida e fácil ao empate e, logo ao minuto 12, Lio, após cruzamento de Zangão, rematou de primeira, fez um bonito golo e restabeleceu a igualdade no marcador.

A partir deste instante, a equipa da casa começou, paulatinamente, a desaparecer e mesmo tendo tido excelente oportunidade para se colocar em vantagem, logo depois de sofrer o empate, não mais, em todo o jogo, o Vila importunou o guarda-redes Guedes, que teve tarde muito tranquila.

Começava a perceber-se que a equipa forasteira estava como queria em campo. As investidas pelos dois flancos, sobretudo pela esquerda, mostravam os transmontanos a chegar à área contrária com enorme facilidade e o segundo golo surgiu com uma investida pelo lado canhoto. A bola foi conduzida por Bela Tavares, sem que ninguém o importunasse, ao chegar à linha de fundo entregou para a zona de penalti onde surgiu Lio para fazer, com um remate a preceito, o segundo na sua conta pessoal e a remontada no marcador.

No Cruz do Reguengo sentiu-se o golo e percebeu-se que o mesmo matava as aspirações do Vila, que a partir deste instante, ao minuto 22, se entregou à sorte da partida.

Aos 35 minutos, Paulo Roberto, assinou um grande golo, com uma tesoura no coração da área, depois de ser servidor de forma preciosa por Zangão, o experiente avançado do Montalegre fechava as contas da partida e colocava um ponto final na partida, quando ainda só estávamos a dez minutos do fim da primeira parte.

Daqui para frente, ou seja, durante os 55 minutos que restavam para acabar este jogo, os dez da primeira parte e os 45 da segunda, o jogo foi gerido pelo Montalegre e o que se percebeu foi a incapacidade, a descrença e o desânimo do Vila, que não foi capaz, em sua casa, de importunar a o Montalegre que sentiu, bem cedo, que não iria perder este jogo.

O Vila vive uma espécie de calvário, o caminho para o fim do campeonato vai ser longo e sofrível. O destino parece estar traçado e a descrença, além de ter chegado ao balneário, há muito que se abateu nas bancadas.

Resta ao Vilaverdense e em especial aos seus jogadores, conforme disse Gaspar Silva no fim do jogo, semana a semana, dignificar o símbolo que carregam ao peito.  

FICHA DO JOGO

ESTÁDIO: Cruz do Reguengo (Vila Verde)

ÁRBITRO: José Bessa (AF Porto)

VILAVERDENSE FC:

Marcos Ferreira, Kiko, Pedro Araújo, Nené e Hugo Costa; Rodilson (Rui Amaral, 82’) e Paulinho (Kehinde, 68’); André Salvador, Aldair, Pedro Pereira e Tiago Vilela (Kenny, 75’);

TREINADOR: Gaspar Silva.

CDC MONTALEGRE:

Guedes; Vítor Alves, Lio, João Fernandes (Embaló, 86’), David Carvalho, Álvaro Branco, Zack, Vitor Pereira, Paulo Roberto (Rogério, 90+1’), Tavares e Zangão (Prince, 68’)

TREINADOR: José Manuel Viage.

DISCIPLINA:

AMARELOS: nada a registar.

VERMELHOS: nada a registar.

GOLOS: (1-0) Tiago Vilela, 6’; (1-1) Lio, 12’; (1-2) Lio, 22’; (1-3) Paulo Roberto, 35’.

©Fotos: Luís Ribeiro.

Categorizado como

Current track
Title
Artist