Segunda parte esmagadora garante três pontos ao Vilaverdense FC

Publicado por em 22 Outubro, 2017

Resultado expressivo de 6-0 não deixa dúvidas quanto à melhor equipa em campo.

Depois da euforia da Taça de Portugal, parece que o clima de festa continua em Vila Verde. Os pupilos de António Barbosa conseguiram nova vitória caseira, com uns expressivos seis golos sem resposta. O VFC mantém a terceira posição e terá uma difícil deslocação a Fafe na próxima jornada.
Ainda na ressaca da histórica vitória frente ao Boavista, pedia-se nova vitória do Vilaverdense, que defrontou o Mondinense em jogo a contar para a 7ª Jornada do Campeonato de Portugal Prio. O jogo nem começou da melhor forma para a turma verde, mas uma segunda metade esmagadora garantiu mais três pontos ao “Vila”.
Primeira parte apática. Todos os presentes na Cruz do Reguengo são unânimes quanto a isso. Procurando explicações para um empate ao intervalo, fizemos o exercício de olhar para o banco de suplentes do adversário. É isso mesmo, o treinador do Mondinense FC é, nada mais, nada menos, do que António Almeida, ex adjunto de António Barbosa, treinador do Vilaverdense. Os forasteiros chegaram com um bloco defensivo bem montado e uma estratégia bem estudada, dificultando a vida aos homens da casa.
Espremendo bem a primeira parte, podemos destacar um remate de Joel Silva aos 22’, que saiu por cima da baliza de Murta. O mesmo Murta, guardião até à altura, acabaria por ser destaque pela negativa, após uma saída em falso, onde acabou por derrubar Joel Silva, vendo vermelho direto, corriam 43 minutos de jogo. Fica ainda a sensação que neste lance haveria espaço para marcação de grande penalidade, e consequente amarelo, já que a falta parece dentro da área.
Apesar de jogar com menos um elemento, o jogo foi para intervalo com o nulo inicial.
António Barbosa não podia estar satisfeito e terá sido por isso que na segunda parte a história foi outra. A chuva de golos não poderia ter começado da melhor maneira, com um potente remate disferido por Ahmed Isaiah ao ângulo superior direito da baliza defendida agora por César. Nada podia fazer o guardião, estava feito o primeiro do “vila”.
A partir desse momento, foi um massacre verde assistido na Cruz do Reguengo. Os golos foram sucessivos, logo aos 54’ por Elísio Esteves, depois de um cruzamento de Rafael Miranda rasteiro ao primeiro poste. No minuto seguinte novo tento vilaverdense, depois de falta na área de João Padi. Chamado à conversão, Latyr Fall fez o seu primeiro, colocando a bola fora do alcance do guarda-redes mondinense.
Recém-entrado na partida, Zé Pedro brilhou, aos 59’. Na primeira vez que toca na bola dá o melhor seguimento a um cruzamento do lado direito de Pedro Lemos, encostando com classe para o quarto do vilaverdense.
A quinze minutos do fim, António Barbosa não parecia querer baixar a guarda, e num passe magistral de Ahmed, viu o seu pupilo Elísio Esteves encostar para mais um, bisando na partida.
O derradeiro golo veio já perto do apito final, aos 89’, com um remate frontal de Latyr, de fora da área e junto ao poste esquerdo, sem hipótese para César.
No final da partida António Almeida, treinador do Mondinense, era um homem conformado, dando especial destaque a uma boa primeira parte da sua equipa. Com quinze golos sofridos em três jogos, admite haver muita coisa a melhorar, restando trabalhar semanalmente para alcançar melhores resultados.
Do outro lado estava António Barbosa, treinador da casa, evidentemente mais satisfeito com o que foi feito nas quatro linhas. Atribui ao treinador adversário a incapacidade da sua equipa fazer uma melhor primeira parte, mas ainda assim mostrou-se feliz quando abordado sobre a generalidade da partida.
Conhecendo bem o adversário, sabia que era mais uma questão de tempo até os golos aparecerem. A superioridade notou-se desde logo, com quebras físicas e desposicionamentos do adversário.
Quanto ao próximo adversário na Taça de Portugal, o Vizela FC, admite ser muito difícil, mas não se estendendo no comentário.
Mais importante parece ser já o próximo jogo, frente ao Fafe, que ditará quem fica no topo da tabela classificativa, junto do Vizela e Pedras Salgadas.

 

Ficha de Jogo:

Local: Estádio do Cruz do Reguengo;

Árbitro:  Carlos Novais (AF Aveiro);

Vilaverdense FC:

Pedro Freitas; Pedro Lemos, Nené (cap.), Rafael Vieira e João Carneiro; Ibraima (Zé Pedro, 58′), Latyr  e Ahmed; Elísio, Rafa Miranda (André Soares, 64′) e Joel Silva (Olatunji, 73′).

Treinador: António Barbosa.

Mondinense FC:

Murta; Filipe, Tuca, Raúl e Vila Chã; Dani, Diogo e Rui Jorge; João Miguel (cap.) (César, 44′), Padi e Rooney (Saroto, 63′)

Treinador: António Almeida.

Cartões Amarelos:

Vilaverdense FC: João Carneiro, 71′;

Mondinense FC: Rooney, 49′; Filipe, 59′;

Cartões Vermelhos:

Mondinense FC: Murta (43′)

Golos: (1-0) Ahmed, 46′; (2-0) Elísio, 53′; (3-0) Latyr g.p., 57′; (4-0) Zé Pedro, 59′; (5-0) Elísio, 75′ ; (6-0) Latyr, 89′.

Prémio Melhor em Campo VFC / Bola P’ra Frente: Ahmed

António Barbosa

António Almeida

Categorizado como

Current track
Title
Artist