TP: Braga tira passaporte de urgência para a 4ª Eliminatória

Publicado por em 22 Outubro, 2018

Dyego Souza autor do único golo que colocou o SC Braga na 4ª eliminatória da Taça de Portugal

Dyego Souza autor do único golo que colocou o SC Braga na 4ª eliminatória da Taça de Portugal

Golo dos Guerreiros só chegou aos 85’, num remate inspirado do avançado Dyego Sousa. O Sporting Clube de Braga garantiu a passagem à 4ª eliminatória da Taça de Portugal depois de vencer, por 0-1, a formação do Futebol Clube Felgueiras 1932. Foi preciso esperar até aos cinco minutos finais para ter sido carimbada a passagem, com um remate potentíssimo de Dyego Sousa que só acabou no fundo das redes.

Ninguém esperava facilidades, muito menos Abel Ferreira. Tratando-se de jogos de Taça de Portugal era previsível que gigantes da Primeira Liga caíssem aos pés de adversários teoricamente mais “acessíveis”, o que veio mesmo a acontece com, por exemplo, o Nacional da Madeira. Ainda assim, o treinador dos guerreiros mexeu muito no onze inicial, dando espaço a caras não tão familiarizadas com a equipa A, como Luther Sing. Marafona também foi chamado à baliza, apesar de ter tido uma noite tranquila, com apenas um grande defesa a registar.

Os primeiros cinco minutos de jogo penderam para o lado do Braga. Era de esperar que uma equipa do primeiro escalão tomasse conta do jogo, mas não foi bem assim. Depois do primeiro fulgor e também depois do nervosismo dos da casa ter ido embora o jogo mudou.

Logo ao minuto 2’, Eduardo teve a primeira oportunidade do jogo, num livre frontal que saiu pouco ao lado do poste esquerdo da baliza de Diego Silva. Aos 4’ foi Fábio Martins quem podia ter inaugurado: canto da esquerda e o médio desviou ao primeiro poste para grande intervenção do guardião Felgueirense.

Aos 39’ foi a vez de Luther Sing tentar a sorte num livre frontal, que embateu na barreira numa primeira tentativa e foi por cima do travessão na segunda.

O jogo chegava ao intervalo sem grandes motivos de interesse, com os adeptos em clara evidência no Dr. Machado de Matos, apoiando muito quer uma quer outra equipa.

A segunda parte chegou com susto para o Braga. Aos 53’, Leandro tira um grande cruzamento da direita e ofereceu a Kiki a oportunidade de marcar. Marafona gigante tapou os caminhos da baliza, impedindo que a surpresa aparecesse em Felgueiras.

Ao minuto 60, Fábio Martins obrigou Diego Silva a mais uma grande defesa, numa noite inspirada do guarda-redes da casa. Bola bem colocada ao poste mais distante levou Diego a outros voos, aguentando o empate a zero.

A entrada de Dyego Sousa em campo ao minuto 55 veio dar ao futebol do Braga o que faltava. Força, raça, ambição e faro de golo. Aos 63’, a baliza da casa estremeceu, com um forte remate do avançado que ainda embateu no poste direito. Era um primeiro aviso daquilo que os da casa poderiam esperar.

A dez minutos do final o Felgueiras podia ter chegado ao tão almejado golo, depois de um cruzamento da esquerda de Diego Raposo. Na área, nem Sunday nem Edelino Ié foram capazes de desfazer o nulo, deixando a bola escapar pela linha de fundo.

Cinco minutos mais tarde surge o tento braguista. A jogada começa com o pontapé de baliza de Marafona a cair no meio campo adversário. Dyego Sousa chega mais alto que toda a gente e coloca a bola em Paulinho, que devolve de bandeja ao brasileiro que fuzilou a baliza de Diego Silva. Remate demasiado forte e bem colocado para não ter carimbo de golo, sem qualquer hipótese para o guarda-redes do Felgueiras.

Alívio nas bancadas por parte dos muitos adeptos que viajaram até à Vila do calçado, provenientes da cidade de Braga, que viram um jogo supostamente “fácil” virar um bicho-de-sete-cabeças.

De louvar a atitude do Felgueiras 1932, equipa que milita do Campeonato Nacional, Série A, que conseguiu impor o seu futebol, dificultando e muito a vida aos homens de Abel Ferreira.

Para a história fica a passagem do Braga, que vai aguardar pelo sorteio para saber quem será o próximo adversário na 4ª Eliminatória da prova rainha.

FICHA DO JOGO

TAÇA DE PORTUGAL 3ª ELIMINATÓRIA

Estádio: Dr. Machado de Matos

Árbitro: Fábio Veríssimo

SC Braga:

Marafona, Marcelo Goiano, Bruno Viana, Pablo Santos e Sequeira; Palhinha (Claudemir, 55’), Fransergio, Eduardo (Dyego Souza, 55’), Luther Sing (Ricardo Horta, 84’) Fábio Martins, Paulinho;

Treinador: Abel Ferreira

FC Felgueiras 1932:

Diego Silva, Sérgio Duarte, To Jó, Rabiola (Sunday, 70’), Ivo Lemos, Tiago Jogo (Edelino Ié, 61’), Diego Raposo, Pinto, Kiki, Leandro, Digas (Rúben Neves, 76’);

Treinador: Ricardo Sousa

DISCIPLINA

Amarelos:

SC Braga: Luther Sing (14’), Bruno Viana (52’), Fábio Martins (54’), Paulinho (56’), Pablo (74’);

Rio Ave FC: Leandro (8’), Pinto (38’);

GOLOS: (0-1) Dyego Sousa (85’);

Melhor em Campo: Dyego Souza;

© Fotos: Facebook Oficial Sporting Clube de Braga

Categorizado como

Current track
Title
Artist